segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

Prêmio Chabub Leite valoriza jornalismo regional

A reportagem vencedora do prêmio José Chalub Leite (BR-364: A Caminho do Juruá) levou doze dias para ser produzida. Sendo que entre Manoel Urbano e Feijó, o percurso precisou ser feito por mim e o cinegrafista Josenir Melo a pé e em lombo de burros. Só nesse trecho de 180 quilômetros foram oito dias. Quatro caminhando, numa estrada que mais parecia um varadouro, porque estava no período das chuvas, e outros cinco dias com auxílio de animais.
Além da dificuldade geográfica, também tivemos de superar a saudade da familia. Mas valeu a pena. Conseguimos registrar e documentar uma região do Acre que pouca gente conhecia. Acredito que com essa reportagem conseguimos cumprir o nosso papel como jornalistas. Num momento em que parte da mídia local dá mais destaque para o que é noticiado na grande imprensa, conseguir vencer o prêmio José Chalub Leite (o Oscar o jornalismo acreano) com uma reportagem destacando o jornalismo regional é espetacular. Creio que escrevi de vez o meu nome na história da imprensa acreana. Daqui a dez anos, as minhas filhas (Sara e Ana Jullian), acadêmicos de jornalismo e profissionais da época quando pesquisarem a história do premio José Chalub Leite de Jornalismo de 2007 vão encontrar: Repórter Senildo Melo (TV Aldeia), vencedor da categoria telejornalismo.

Uma aventura para poucos







Um comentário:

fernanda disse...

Visitei hoje pela primeira vez seu blog e gostei muito. Não poderia deixar de parabeniza-lo pela reportagem premiada pelo prêmio Chalub Leite. Os leitores, telespectadores e ouvintes merecem ter acesso a informações das coisas boas da nossa terra e com muita qualidade e isso você consegue fazer.
Parabéns mesmo.
Que você continue fazendo noticias com qualidade e acima de tudo responsabilidade.
Conheço um pouco das dificuldades que são enfretadas para conseguir faze-las.
Abraços.