quarta-feira, 14 de maio de 2008

Jorge Viana diz não e Carlos Minc é o novo ministro do Meio Ambiente


Carlos Minc, secretário do Meio Ambiente do Rio de Janeiro, é o novo ministro do Meio Ambiente. Minc aceitou o convite do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para substituir Marina Silva, que deixou o cargo na terça-feira (13). O Palácio do Planalto confimirmou oficialmente a troca.

O presidente Lula teve um encontro na manhã de quarta-feira (14) com o ex-gorvernador do Acre, Jorge Viana, também cotado para o cargo. Fontes dizem que ele foi sondado mas não teria aceito o cargo.
Em sua primeira entrevista como ministro, Minc disse que gostaria de ter Jorge Viana como coordenador do Plano de Desenvolvimento da Amazônia. Convite que não foi aceito por Viana, por questões óbvias.

2 comentários:

Marcelo disse...

É claro que qualquer atitude tomada a favor da preservação da Amazônia é bem vinda. O atual Ministro e ex-secretário, Carlos Minc, tem uma bagagem bem extensa.
Quando foi Deputado Estadual pelo PV e PT, liderou várias frentes contra o desmatamento de várias regiões do Estado do Rio de Janeiro, lutou pela Baía de Sepetiba, sendo atuante nas lutas a favor do meio ambiente e das pessoas que viviam esses impactos. Portanto, acho que esse senhor Blairo Maggi deveria respeitá-lo mais, ele deve levar em consideração que o avanso da soja e da pecuária na Amazônia causaria um desequílibrio de proporções monstruosas a exemplo do nosso cerrado. Isso afetaria diretamente uma faixa da população que não tem como se defender dessas atitudes desastrosas como, a seca nos rios diminuindo o sustento da população ribeirnha, o aumento de temperatura e a degradação do solo da região que já não é lá essas coisas, boa parte é serrapilheira. Enfim, vejo com muito bons olhos as medidas tomadas pelo Ministro Carlos Minc, só acho que a Guarda Nacional Florestal, poderia sim ter os Policiais Militares na sua composição, mas ele também poderia avaliar a possíbilidade de recrutar os técnicos que foram aprovados em concursos estaduais na área ambiental, como por exemplo, o Cadastro de Reserva do INEA e muitos outros para garantir um grupo heterogêneo, mas bastante eficaz na luta pela defesa do MEIO AMBIENTE.

MARCELO M. AMORIM - MESQUITA RJ.

Marcelo disse...

É claro que qualquer atitude tomada a favor da preservação da Amazônia é bem vinda. O atual Ministro e ex-secretário, Carlos Minc, tem uma bagagem bem extensa.
Quando foi Deputado Estadual pelo PV e PT, liderou várias frentes contra o desmatamento de várias regiões do Estado do Rio de Janeiro, lutou pela Baía de Sepetiba, sendo atuante nas lutas a favor do meio ambiente e das pessoas que viviam esses impactos. Portanto, acho que esse senhor Blairo Maggi deveria respeitá-lo mais, ele deve levar em consideração que o avanso da soja e da pecuária na Amazônia causaria um desequílibrio de proporções monstruosas a exemplo do nosso cerrado. Isso afetaria diretamente uma faixa da população que não tem como se defender dessas atitudes desastrosas como, a seca nos rios diminuindo o sustento da população ribeirnha, o aumento de temperatura e a degradação do solo da região que já não é lá essas coisas, boa parte é serrapilheira. Enfim, vejo com muito bons olhos as medidas tomadas pelo Ministro Carlos Minc, só acho que a Guarda Nacional Florestal, poderia sim ter os Policiais Militares na sua composição, mas ele também poderia avaliar a possíbilidade de recrutar os técnicos que foram aprovados em concursos estaduais na área ambiental, como por exemplo, o Cadastro de Reserva do INEA e muitos outros para garantir um grupo heterogêneo, mas bastante eficaz na luta pela defesa do MEIO AMBIENTE.

MARCELO M. AMORIM - MESQUITA RJ.