quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Usina de Jirau é multada em R$ 1 milhão e obra é embargada pelo Ibama/RO


O início da construção da ensecadeira da usina hidrelétrica de Jirau, no rio Madeira, rendeu uma multa de R$ 950 mil para a empresa Energia Sustentável do Brasil, responsável pela obra.


Segundo o Ibama/RO, em visita de rotina uma equipe do órgão constatou as obras para a construção de uma ensecadeira que ligaria a margem direita do rio Madeira a Ilha Pequena (a menor das duas ilhas do local), partindo da área desmatada e embargada anteriormente.


Uma nova equipe foi até a obra, pontuou as coordenadas, fotografou o local e orientou o engenheiro responsável a não fazer mais nenhuma intervenção, informando que aquela área seria embargada.Ontem, segundo o Ibama/RO, a empresa foi autuada por construir a ensecadeira sem autorização ambiental e por deixar de atender a condicionante da licença de instalação.


O diretor presidente da Energia Sustentável do Brasil, Vitor Paranho, assegurou que a obra da ensecadeira estava sendo construída com licenciamento ambiental emitido pelo Ibama de Brasília e atendia a todas as exigências ambientais, com transparência e ampla divulgação pela mídia estadual e nacional. “Essa autuação não tem fundamento, pois trabalhamos dentro da legalidade atendemos às exigências ambientais”, salientou.


Paranhos destacou ainda que a obra está parada desde sexta-feira (13), e com o cronograma de execução comprometido. “Vamos entrar com recurso contra essa notificação, e esperamos uma solução ágil para que o país, Rondônia e a população de Porto Velho não sejam prejudicadas”, frisou.


A contratação de mil funcionários prevista para fevereiro, para dar continuidade às obras, foi suspensa temporariamente. Em janeiro, a empresa foi autuado pelo Ibama/RO pela supressão de floresta nativa em área de preservação permanente, com uma multa de R$ 475 mil.

Um comentário:

Baldev Choudhary disse...

nice blog...keep it up.